ULTIMAS NOTICIAS

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Polícia investiga campanha com cartazes contra o Papa em Roma

Terça-feira, 07 de fevereiro de 2017
Centenas de cartazes criticando o pontífice foram espalhadas neste fim de semana na capital italiana.
Funcionário cobre cartaz que acusa o Papa Francisco de atacar católicos conservadores (Foto: REUTERS/Max Rossi)
Autoridades Italianas tentavam nesta segunda-feira (6) identificar os responsáveis por uma campanha sem precedentes contra o Papa Francisco, lançada em Roma por meio de centenas de cartazes criticando o pontífice.

Os cartazes apareceram durante o fim de semana nos muros de vários bairros centrais da capital italiana e neles se vê a imagem de Francisco, com cara de raiva e uma legenda em dialeto romano.

"A France (Francisco), você tutelou congregações, removeu sacerdotes, decapitou a Ordem de Malta e a dos Franciscanos da Imaculada, ignorou cardeais, ma n'do sta la tua misericórdia (onde está a sua misericórdia?)", diz o cartaz em tom irônico.

As acusações a Francisco dizem respeito a problemas que ele teve com os setores mais conservadores da Igreja Católica e da Cúria Romana, a poderosa máquina central da Igreja.

Os dizeres citam, entre outros, a guerra travada com a Ordem de Malta e a aposentadoria forçada do ultraconservador Stefano Manelli, de 83 anos, fundador em 1970 da ordem dos Frades Franciscanos da Imaculada.

Também critica o fato de que o Papa "ignora cardeais", em uma alusão aos quatro cardeais ultraconservadores que pediram publicamente em uma carta datada de setembro que Francisco corrija os "erros doutrinais" de sua encíclica Amoris Laetitia.

A polícia analisa as imagens de câmeras de segurança para tentar determinar os responsáveis pelo ato.

'Métodos anônimos'
Em um programa de televisão, o cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação dos Bispos, conhecido por suas posições conservadoras, condenou no domingo "os métodos anônimos, inspirados pelo diabo, que querem semear a divisão".

Sem fazer referência direta ao caso, o Papa falou no domingo durante o Angelus da "difamação e calúnia" entre os católicos.

"Estas sementes arruínam a nossa comunidade, que deveria brilhar por sua acolhida, solidariedade e reconciliação", afirmou.

Segundo o jornal "La Stampa", após ser informado da campanha, o Papa reagiu com "serenidade e indiferença".



AFP Por France Presse

Perfil de ""

Formado em radialismo,Cursou A FUNETECE,Ensino médio Completo,E-mail: radialistasergiothiago@gmail.com.

Postar um comentário

 
Copyright © 2013 PORTAL CONTINENTAL
Design by | T