ULTIMAS NOTICIAS

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Fluminense vence LDU no Maracanã pela Sul-Americana

Sexta-feira, 15 de setembro de 2017
No reencontro entre os finalistas da Libertadores de 2008, o Fluminense se deu melhor e venceu a LDU, do Equador, por 1 a 0, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, no primeiro jogo das oitavas da Copa Sul-Americana.

O triunfo na noite desta quinta-feira permite ao Fluminense jogar por um empate no Equador. Se fizer um gol, obrigará o rival a ter de vencer por diferença de dois tentos (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3 e assim por diante). O jogo de volta será na próxima quinta-feira, dia 21, no estádio Casa Blanca, em Quito. Quem avançar vai enfrentar o ganhador do confronto entre Flamengo e Chapecoense nas quartas de final.

O gol do jogo foi de Gustavo Scarpa. Foi marcado aos 7 minutos do primeiro tempo. O meia cobrou falta de frente para o gol, batendo com o pé esquerdo. A bola passou por fora da barreira e afundou na rede. Mas nem tudo rendeu o desejado pelo time tricolor. O volante Orejuela acusou dores na coxa esquerda e foi substituído no intervalo. O clube das Laranjeiras não sabia da gravidade do problema muscular.

Antes de decidir a classificação no torneio sul-americano, o Fluminense terá de encarar o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo O Fluminense começou a partida com mais posse de bola do que o adversário. E empurrado pela grande torcida, o Fluminense logo chegou ao primeiro gol, aos seis minutos. Wendel foi derrubado na entrada da área e Gustavo Scarpa bateu no canto direito. O goleiro Nazareno ainda pulou, mas não alcançou a bola. A vantagem animou a equipe tricolor, que voltou a ameaçar aos nove minutos, quando Lucas foi lançado pela direita e cruzou para Henrique Dourado, mas a zaga desviou para escanteio.

A LDU não conseguia se encontrar em campo e apenas tentava evitar as penetrações do Fluminense. Só aos 15 minutos é que o time equatoriano chegou no ataque em investida de González, mas a zaga tricolor desviou para escanteio.

O time dirigido por Abel Braga seguia marcando a saída de bola e dificultando as ações da LDU. A equipe do Equador era obrigada a apelar para chutões, que facilitavam a tarefa do time carioca. Aos 22 minutos, Henrique Dourado recebeu de Wendel e mandou a bomba que passou perto da trave defendida por Nazareno. Um minuto depois, o goleiro Júlio César saiu com precisão e evitou que González conseguisse alcançar o lançamento. Sem correr riscos na defesa, a equipe brasileira apenas se preocupava em gastar o tempo e tocar a bola, sem procurar fazer muita pressão sobre a defesa equatoriana. Na LDU, o atacante Barcos seguia muito isolado na frente e pouco participava do jogo.

Aos 43 minutos, Scarpa viu a penetração de Orejuela e fez o lançamento, mas o volante não conseguiu chegar e Nazareno ficou com a bola. Logo depois, em cobrança de escanteio, a bola ficou com Gustavo Scarpa, que tentou o tiro direto, mas mandou a bola para longe.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com o meia Sornoza no lugar do volante Orejuela, que sentiu dores na coxa. A LDU voltou mais ofensiva, mas foi o time carioca que criou a primeira oportunidade aos quatro minutos, quando Wendel recebeu de Marlon e arriscou, mas a bola saiu. Aos 13 minutos, Narvaéz cruzou e Barcos não conseguiu alcançar a bola. Dois minutos depois, Lucas cruzou e Henrique Dourado cabeceou com perigo. O Ceifador voltou a aparecer com perigo aos 20 minutos, cabeceando um cruzamento de Marlon, mas a bola saiu, levando perigo para o gol defendido por Nazareno. Logo depois, o Fluminense voltou a criar outro momento de perigo com um chute de Gustavo Scarpa que desviou na zaga equatoriana e saiu.

O time do Equador continuava muito retraído e só ameaçou o gol de Júlio César aos 26 minutos, em chute de Anderson Júlio, mas o goleiro tricolor defendeu sem dificuldades. O técnico Abel Braga, que escalou uma defesa improvisada, precisou recorrer ao volante Marlon Freitas para substituir o zagueiro Frazan, que sentiu uma lesão.

Mesmo sem realizar uma grande atuação, o Fluminense seguia controlando as ações e poderia ter ampliado aos 32 minutos, em nova cabeçada de Henrique Dourado que passou perto da trave esquerda. Logo depois, Gustavo Scarpa mandou a bomba e assustou o goleiro Nazareno. Nos minutos finais, o time carioca apenas administrou o resultado, sem voltar a ser incomodado pela equipe adversaria.



ESPN

Perfil de ""

Formado em radialismo,Cursou A FUNETECE,Ensino médio Completo,E-mail: radialistasergiothiago@gmail.com.

Postar um comentário

 
Copyright © 2013 PORTAL CONTINENTAL
Design by | T