ULTIMAS NOTICIAS

POLITICA

ESPORTES

Mais Noticias

sexta-feira, 16 de abril de 2021

Flamengo perde para o Vasco pelo Campeonato Carioca

Sexta-feira, 16 de abril de 2021
Matéria do Site Agência Esporte
Pela 9ª rodada do Campeonato Carioca, o Flamengo foi derrotado pelo Vasco por 3 a 1 na noite de quinta-feira (15), no Maracanã. Vitinho marcou o único gol rubro-negro na partida.

O jogo
O Flamengo começou a partida valorizando a posse de bola e tomava a iniciativa. Mas quem abriu o placar foi o Vasco, numa cabeçada de Léo Matos: 1 a 0. O time rubro-negro trocava passes em busca de espaços na defesa vascaína. Aos 25’, Gabi tabelou com Everton Ribeiro e finalizou de bico. A bola passou perto da trave.

Aos 27’, o Vasco ampliou com Cano: 2 a 0. Quase no fim, Bruno Henrique dominou na área, cortou para o meio e chutou com perigo para boa defesa do goleiro.

O Rubro-Negro voltou para o segundo tempo tentando pressionar o adversário. Com um minuto, Everton Ribeiro achou Gerson na área, que chutou para defesa do goleiro. Em seguida, Vitinho finalizou uma bola na trave. Aos 9’, Filipe Luís fez bom cruzamento e Everton Ribeiro bateu de primeira, mas Lucão fez a defesa.

O time rubro-negro continuava pressionando o Vasco, mas encontrava dificuldades para penetrar na área e concluir no gol. Aos 32’, a equipe de São Januário fez o terceiro com Morato. No último minuto da partida, após bate e rebate na área, Vitinho descontou para o Flamengo: 3 a 1.



Por: Agência Esporte

Supremo forma maioria para manter decisão de Fachin e deixar Lula apto para disputar eleição de 2022

Sexta-feira, 16 de abril de 2021
Os ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Rosa Weber, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Cármen Lúcia votaram nesse sentido.
A decisão de Fachin que determinou a transferência dos processos para a capital do país havia sido tomada no dia 8 de março. (Foto: Reprodução)
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria nesta quinta-feira (15) para anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e devolver os direitos políticos do petista.

Os ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Rosa Weber, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Cármen Lúcia votaram nesse sentido.

Indicado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro Kassio Nunes Marques foi o único a divergir. O magistrado defendeu a revogação da decisão de Fachin.

Os demais magistrados concordaram que as ações contra Lula não tratavam apenas da Petrobras e que a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba dizia respeito somente a processos com vinculação direta com a estatal petrolífera.

Os ministros ainda devem decidir se os processos devem ser remetidos à Justiça Federal do Distrito Federal ou de São Paulo.

Em duas das quatro ações, casos conhecidos como tríplex de Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia (SP), Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, sentenças já confirmadas em instâncias superiores. Com isso, o ex-presidente foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

A decisão de Fachin que determinou a transferência dos processos para a capital do país havia sido tomada no dia 8 de março.

Na semana seguinte, a PGR (Procuradoria-Geral da República) apresentou ao Supremo um recurso para restabelecer as condenações.

Ao recorrer da decisão de Fachin, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo argumentou que a Lava Jato apontou crimes praticados no âmbito do esquema criminoso que pilhou a Petrobras.

Segundo a acusação, contratos da estatal com a construtora OAS estão na origem de valores ilícitos direcionados a Lula.

A denúncia, disse a representante do Ministério Público Federal, relata elos entre os contratos da OAS firmados com a Petrobras e a vantagem ilícita obtida por Lula. "Há de ser preservada a competência do juízo de origem", afirmou Lindôra.

Na defesa de sua decisão, Fachin disse ser "forçoso reconhecer que o caso não se amolda ao que tem sido decidido majoritariamente no âmbito da Segunda Turma [do STF]".

"A competência da 13ª Vara foi sendo entalhada à medida que novas circunstâncias fáticas foram trazidas ao conhecimento do STF, que culminou por afirmá-la apenas aos crimes direta e exclusivamente praticados em relação à Petrobras", afirmou.

Em diversas passagens do seu voto, Fachin reafirmou a jurisprudência do Supremo que fixou na 13ª Vara Federal os casos que dizem respeito exclusivamente à estatal petrolífera.

Ele citou decisões da Segunda Turma da corte que, desde 2015, tiraram do Paraná várias apurações da Lava Jato.

No caso do triplex do Guarujá, motivo do habeas corpus de Lula ao Supremo que resultou na decisão de Fachin do início de março, o ministro afirmou que a denúncia não atribuiu ao ex-presidente "uma relação de causa e efeito entre sua atuação como presidente da República e determinada contratação pelo grupo da OAS com a Petrobras, em decorrência da qual se tenha acertado o pagamento da vantagem indevida".

"Na estrutura delituosa delimitada pelo Ministério Público ao paciente [Lula], são atribuídas condutas condizentes com a figura central do imputado grupo como grupo criminoso organizado, com ampla atuação nos diversos órgãos pelos quais se espalharam as práticas ilícitas, sendo a Petrobras um deles", disse.

"Não se trata apenas de corrupção identificada no mensalão e na Petrobras, isso é afirmação do Ministério Público".

E prosseguiu: "Ao longo de todos os anos, em que Lula, diz o Ministério Público, ocupou o mais alto cargo do Poder Executivo Federal, diversos outros casos de corrupção semelhantes foram verificados."

O relator da Lava Jato mencionou que as apurações apontaram irregularidades na Eletronuclear, Ministério do Planejamento e na Caixa, "um cenário de macrocorrupção política", segundo ele.

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o STF, Kassio Nunes Marques divergiu do colega Edson Fachin e votou contra a anulação das condenações de Lula.

Na avaliação de Kassio, as ações penais contra o petista devem prosseguir na 13ª Vara Federal de Curitiba, hipótese que devolve ao ex-presidente a condição de inelegível e impede sua participação nas eleições de 2022.

O ministro afirmou que as investigações do petista que tiveram origem na 13ª Vara Federal de Curitiba têm conexão com os crimes cometidos na Petrobras e não devem ser invalidadas e remetidas à Justiça Federal do DF.

Na linha do que defendeu a PGR, o ministro recorreu a uma série de achados da apuração do caso triplex do Guarujá para sustentar a relação dos contratos da OAS firmados com a Petrobras e a vantagem ilícita obtida por Lula.

"Os fatos versados nas ações penais descritas estão, de fato, associados diretamente ao esquema criminoso de corrupção e lavagem de dinheiro investigado no contexto da Operação Lava Jato cuja lesividade veio em detrimento exclusivamente da Petrobras", afirmou. "E, assim sendo, a competência, a meu sentir, é da 13ª Vara Federal."

O julgamento desta quinta foi iniciado na quarta-feira (15), quando o Supremo decidiu manter a análise da matéria no plenário da corte.

Por 9 a 2, os ministros rejeitaram o pedido da defesa do ex-presidente para que o tema fosse analisado pela Segunda Turma, colegiado que é integrado por cinco magistrados e tem perfil contrário à Lava Jato.



Por: FOLHAPRESS

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 para 2022, sem aumento acima da inflação

Quinta-feira, 1 de abril de 2021
Valor consta no projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias divulgado nesta quinta pelo Ministério da Economia. Se aprovado, aumento em relação ao mínimo atual será de R$ 47.
O texto foi divulgado pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (15), último dia de prazo para o envio da proposta ao Congresso. (Foto: Reprodução)
O governo federal propôs um salário mínimo de R$ 1.147 para 2022, segundo o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) do ano que vem. O texto foi divulgado pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (15), último dia de prazo para o envio da proposta ao Congresso.

O valor é R$ 47 maior que o salário mínimo atual, de R$ 1.100, e representa uma alta de 4,27% — que é a previsão do Ministério da Economia para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano, feita no mês de março.

O número divulgado indica que o governo pretende apenas repor a perda da inflação do período, sem valorização real do salário mínimo (entenda abaixo).

A Lei de Diretrizes Orçamentárias estabelece as bases para a aprovação do orçamento do ano seguinte e, por isso, traz previsões dos principais indicadores econômicos. Se a inflação verificada no fim do ano for diferente da previsão, o governo pode rever o valor durante a tramitação do próprio orçamento.

De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para 50 milhões de pessoas no Brasil, das quais 24 milhões de beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Para os anos seguintes, o governo propôs um salário mínimo de R$ 1.188 em 2023 e de R$ 1.229 em 2024. Esses valores são apenas uma referência, e também podem ser alterados posteriormente.

A Constituição determina que o salário mínimo tem de ser corrigido, ao menos, pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior.

Em 2021, porém, o salário mínimo de R$ 1.100 não repôs a inflação do ano passado. A correção aplicada pelo governo foi de 5,26%, mas a inflação medida pelo INPC somou 5,45% no ano passado. Para que não houvesse perda de poder de compra, o valor do salário mínimo deveria ter sido reajustado para R$ 1.101,95 neste ano.

Sem aumento real
O valor do salário mínimo proposto pelo governo para o ano que vem tem correção somente pela inflação, ou seja, pela estimativa do governo para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPC).

Esse formato foi adotado em 2020, quando a área econômica concedeu reajuste somente com base na inflação de 2019. Com isso, o governo mudou a política de aumentos reais (acima da inflação) que vinha sendo implementada nos últimos anos, proposta pela presidente Dilma Rousseff e aprovada pelo Congresso.

A política de reajustes pela inflação e variação do PIB vigorou entre 2011 e 2019, mas nem sempre o salário mínimo subiu acima da inflação.

Em 2017 e 2018, por exemplo, foi concedido o reajuste somente com base na inflação porque o PIB dos anos anteriores (2015 e 2016) teve retração. Por isso, para cumprir a fórmula proposta, somente a inflação serviu de base para o aumento.

Impacto nas contas públicas
O reajuste do salário mínimo também tem impacto nas contas públicas, pois os benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o abono salarial não podem ficar abaixo do valor do salário mínimo.

De acordo com cálculos do governo, o aumento de cada R$ 1 no salário mínimo implica despesa extra em 2020 de aproximadamente R$ 315 milhões. Um aumento de R$ 47, portanto, representa uma despesa extra de quase R$ 15 bilhões.



Por: G1-Brasília

quarta-feira, 14 de abril de 2021

Em Mari/PB, prefeito Antônio Gomes e secretária de saúde Dra. Emanuelle acompanha vereadores em visita às obras do hospital municipal, confira!

Quinta-feira, 15 de abril de 2021
Matéria do Portal Umari
O Prefeito Antônio Gomes da cidade de Mari, localizada na região da zona da mata paraibana, acompanhou na tarde desta quarta-feira (14/04), uma visita realizada pelos vereadores do município nas obras de construção do Hospital Municipal. A obra está em ritmo acelerado e está entre as prioridades da Secretaria Municipal de Saúde. O prefeito e secretária de saúde Dra. Emanuelle mostraram aos legisladores todas as etapas já executadas na construção.

Vale ressaltar que o projeto do Hospital está de acordo com as resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que dispõe sobre a regulamentação dos procedimentos de análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos de estabelecimentos de saúde. A obra está sendo construída com recursos próprios do município.

A visita contou com a presença dos vereadores Alisson Gomes, Presidente da Câmara, Arlinda Meireles, Valeska de Jobson, Vânia de Zu, Elias Cabral, Dja Moura, Betinho Baltazar, Magdiel Olinto, Paulo Pipoco e Zeca Gomes.

Veja algumas fotos!









Por: Portal Umari

Caldas Brandão/PB: prefeito Fábio Rolim é aprovado pela população nesses 100 dias de governo

Quarta-feira, 14 de abril de 2021
Matéria do Política Parahyba
A prefeitura de Caldas Brandão investe nestes primeiros 100 dias de governo. Trata-se de um período de estruturação, de conhecer a casa e avaliar as ações passadas para definir o futuro. Esses 100 dias parecem pouco diante das centenas de novas oportunidades que estão pela frente, mas, nesse tempo, já se pode avaliar a identidade da nova gestão. Por isso, o prefeito Fábio Rolim tem se destacado por sua intensa agenda de trabalho em busca de parcerias e projetos para o município.

“Os primeiros 100 dias são o momento mais difícil, mas nós conseguimos organizar e reduzir os gastos para ter mais recursos para investirmos. Avaliamos obras e projetos em andamento para adequá-los às reais prioridades do município. Nós temos o compromisso com a população sobre a saúde e eu vou perseguir a melhoria no serviço oferecido. A luta pela vida de cada cidadão de Caldas Brandão é nosso maior foco, por isso temos avançado muito na vacinação contra a Covid-19. Também vamos cuidar do emprego, da juventude, da infraestrutura, dos nossos servidores públicos e outras ações que julgamos importantes”, citou o prefeito Fábio Rolim.

O olhar para o social, uma gestão humanizada e eficiente, com importante desempenho no enfrentamento ao coronavírus, tem construído o modelo de gestão implementado pelo prefeito Fábio Rolim nesses primeiros 100 dias de governo.

Nas ruas, rede social e contato diário com o povo, o prefeito recebe da população a aprovação de seu governo.



Por: Política Parahyba

Enquete aponta 79% de aprovação do prefeito Antônio Gomes em Mari, após 100 dias de gestão

Quarta-feira, 14 de abril de 2021
Matéria do ExpressoPB
O programa Liberdade de Expressão, da Rádio Araçá FM, em Mari-PB, lançou nesta segunda-feira (12), uma enquete para avaliar a gestão do atual prefeito, Antônio Gomes (PL).

Apresentado pelos radialistas, Marcos Sales e Jailton Alves, o programa líder em audiência no horário, lançou a enquete com o objetivo de avaliar a gestão de Antônio Gomes, que acabou de completar 100 dias de seu segundo mandato.
Político bastante experiente, Antônio Gomes teve uma ótima avaliação na enquete, recebendo 79% da aprovação da população de Mari e 21% de reprovação. A enquete ofereceu as opções de: Boa, Ótima, Péssima e Ruim.

Natural de Mari, Antônio Gomes é agricultor e foi eleito com 45,91% dos votos, assumindo seu terceiro mandato na gestão da cidade.



Por: Portal Umari com Napoleão Soares e informações da Assessoria

Veja o que muda no Código de Trânsito Brasileiro a partir desta segunda-feira

Quarta-feira, 14 de abril de 2021
Matéria da Agência Brasil
As alterações no Código de Trânsito Brasileiro começam a valer a partir desta segunda-feira (12). As novas regras serão debatidas no I Simpósio de Mobilidade da Região Metropolitana, às 11h, na sede da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP).

Veja as principais mudanças no Código de Trânsito Brasileiro
CNH
A Carteira Nacional de Habilitação terá a validade aumentada para 10 anos a quem tiver menos de 50 anos. Motoristas entre 50 e 70 anos continuam sendo obrigados a renovar a cada 5 anos. Maiores de 70 precisam refazer exames a cada 3 anos

Pontuação
Atualmente, a suspensão da carteira ocorre quando o condutor atinge 20 pontos em 12 meses. A partir de 12 de abril, haverá três limites: 20 pontos para quem tem duas ou mais infrações gravíssimas; 30 para quem tem uma gravíssima; e 40 para quem não tiver nenhuma gravíssima.

Atividade remunerada
Para condutores que usam o veículo para atividade remunerada, o limite para suspensão é um só: 40 pontos.

Conversão à direita
Passa a ser liberada, mesmo com o sinal fechado, se houver placa indicando.

Exames
Exames de aptidão física e mental e avaliação psicológica deverão ser realizados por médicos e psicólogos com titulação de especialista em medicina do tráfego e psicologia do trânsito. Os atuais peritos terão três anos para conseguir a titulação. A exigência havia sido vetada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas o Congresso derrubou o veto.

Nova avaliação
O condutor deverá passar por nova avaliação psicológica quando se envolver em acidente grave para o qual haja contribuído; quando condenado judicialmente por delito de trânsito; e a qualquer tempo, se for constatado que o motorista está colocando em risco a segurança do trânsito. Tal comando também fora vetado pelo Executivo, mas os parlamentares restauraram sua validade.

Cadeirinha
Passa a ser obrigatória para crianças com até 1,45 metro ou até os 10 anos de idade. A norma atual exige até os 7 anos. A infração é considerada gravíssima.

Álcool
A punição ficou mais dura para quem ingerir álcool ou usar drogas e for responsável por acidente grave. Não será mais possível trocar a prisão por outras penas alternativas.

Substituição de multas
As multas médias e leves poderão ser substituídas por advertências, caso o condutor não tenha cometido nenhuma outra infração nos últimos 12 meses.

Motocicletas
O projeto aprovado no Congresso reduzia a mobilidade das motocicletas, autorizando sua circulação nos corredores de carros somente quando o trânsito estivesse parado ou lento. O presidente Jair Bolsonaro não concordou, e o veto foi mantido pelo Congresso. Com isso, continuará ampla a possibilidade de circulação das motos entre os demais veículos. O presidente também vetou a proibição inicial de as motos circularem entre a calçada e a faixa a ela adjacente. Tal veto também foi mantido.

Recall
O veículo só poderá ser licenciado mediante comprovação de que tenha atendido a campanhas de recall.

RNPC
Passará a valer o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), onde serão cadastrados os motoristas que não tenham cometido infração de trânsito sujeita a pontuação nos últimos 12 meses. A consulta ao RNPC será garantida a todos os cidadãos.

Garupa
A idade mínima para crianças serem transportadas nas garupas das motocicletas aumentará de 7 para 10 anos. A infração será considerada gravíssima.

Viseira
Antes o tema era tratado por resolução do Contran. Agora foi criada uma infração específica, de categoria média, para quem trafegar sem a viseira do capacete ou com ela levantada.

Bicicleta
Além de estacionar, parar o veículo sobre ciclovias ou ciclofaixas também passará ser infração grave.

Faróis
Os veículos que não dispuserem de luzes de rodagem diurna deverão manter acesos os faróis nas rodovias de pista simples situadas fora dos perímetros urbanos, mesmo durante o dia. Antes da alteração, o CTB dizia ser obrigatório o uso da luz baixa durante o dia em rodovia, sem especificar o tipo. Já os veículos de transporte coletivo de passageiros, quando circularem em faixas ou pistas a eles destinadas, e as motos deverão utilizar farol baixo durante o dia e à noite.

Luz de rodagem diurna
Tal equipamento passará a constar entre os itens obrigatórios dos veículos futuros. Diferente do farol baixo, que precisa ser ligado pelo motorista, a luz diurna (DRL na sigla em inglês) acende de forma automática. Atualmente, a Resolução 667 do Contran já trata do assunto.

Exame toxicológico
Está mantida a obrigatoriedade de exame toxicológico para condutores com carteiras nas categorias C, D e E, sob pena de cometimento de infração gravíssima. O texto inicial do governo eliminava tal exigência.



Por: Agência Senado

Senado inclui investigação a estados e municípios na ‘CPI da Covid’

Quarta-feira, 14 de abril de 2021
Presidente do Senado determinou união de requerimentos para apurar ações do governo federal, estados e municípios
Rodrigo Pacheco (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), fez a leitura na sessão deliberativa desta terça-feira (13) do requerimento de criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid para apurar ações do governo federal no enfrentamento à pandemia de coronavírus, cumprindo ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso. As informações estão no portal R7.

Pacheco determinou a união dos requerimentos do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que foca o pedido de investigação na atuação do governo federal no combate à pandemia, e do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que inclui a destinação de verbas federais a estados e municípios na área da saúde nas investigações.

A decisão é um meio termo entre o escopo inicial proposto pela CPI da Covid, de apurar a gestão federal na saúde frente à pandemia, e o que desejavam governistas, que pretendiam ampliar seu foco e apurar também a conduta de governadores e prefeitos.

Pela decisão de Pacheco, a atuação da CPI fica limitada e não poderá invadir a competência das Assembleias Legislativas locais.

Os líderes partidários devem indicar integrantes para a CPI da Covid. No total, vão compor a comissão 11 senadores titulares e 7 suplentes, com prazo de 90 dias de trabalho para a conclusão das investigações.

Para entender
Na quinta-feira (8), o ministro Luís Roberto Barroso determinou a abertura pelo Senado Federal da CPI, que irá apurar ações e omissões do governo federal no combate à pandemia de covid-19.

A decisão atende a pedido feito pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Jorge Kajuru (Cidadania-GO), que questionam a posição de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado, em avaliar o requerimento pela investigação, apresentado há 64 dias, no início de fevereiro, e que conta com cinco assinaturas a mais do que as que são exigidas.



Por: Portal Correio com R7

terça-feira, 13 de abril de 2021

Enquete da Araçá FM que avaliou gestão do prefeito de Mari repercute na mídia; 79% aprovam governo de AG

Terça-feira, 13 de abril de 2021
Matéria do Expresso/PB
O Programa Liberdade de Expressão da Rádio Araçá FM de Mari, Zona da Mata da Paraíba, realizou na manhã desta segunda-feira (12) uma enquete para sondar a opinião de seus ouvintes sobre os 100 dias de governo do Prefeito Antonio Gomes.

Apresentado pelos radialistas, Marcos Sales e Jailton Alves, o jornalístico ouviu 79 participantes e apresentou o seguinte resultado:  79% aprovam os 100 dias de governo e 21% reprovam.

Vários portais da região, da cidade e da capital repercutiram o resultado da enquete realizada pela Araçá FM.


Site Sapé na Web da vizinha cidade de Sapé também repercutiu a referida enquete dando destaque para os 79% de aprovação.



Por: ExpressoPB

Prefeitura de Caldas Brandão\PB, entrega kits de aprendizado infantil para as crianças da Rede Municipal de Ensino, Confira!

Terça-feira, 1de abril de 2021
Matéria do Portal Umari
A Prefeitura Municipal de Caldas Brandão, por meio da Secretaria de Educação, que tem afrente da pasta, a secretária de educação Maria das Dores Alves a popular “Dodóia”, está realizando a entrega dos kits “Infantis”, criado para levar aprendizado aos alunos da Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino neste momento em que as aulas presenciais estão suspensas devido à pandemia da Covid-19. Os kits estão sendo entregue os pais ou responsáveis dos alunos da Escola Municipal Virgília Cordeiro Guedes.

Os kits “Infantis” para os alunos da rede municipal contêm, cadernos, lápis, lápis de cor, cola, lapiseira e borrachas. Segundo a Secretária de Educação, Dodóia, falou, “o material didático vai auxiliar na melhoria da aprendizagem e motivar famílias e alunos para a prática do estudo em casa, neste período de distanciamento social, em que as aulas presenciais estão suspensas, quero aqui agradecer todo apoio da nossa diretora escolar Marinez e do nosso prefeito Fábio Rolim, sempre comprometido em fazer o melhor pelos nossos alunos e nossa população” disse Dodóia.

Veja algumas fotos:







Por: Portal Umari

Prefeitura de Mari/PB entrega mais de 9 toneladas de alimentos do PAA para às famílias carentes

Terça-feira, 13 de abril de 2021
Matéria da assessoria, com informações de Radazinho
A prefeitura Municipal de Mari (PB), em parceria com o ministério da cidadania e governo do Estado, distribuiu para as famílias carentes 9, 5 toneladas de alimentos, quando foram contempladas famílias residentes nos bairros Walter Martins, Pasto Novo, Rabo da Gata e Sem Teto. “O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é uma das principais políticas de apoio e incentivo à agricultura familiar no Brasil. Por meio dessa iniciativa, agricultores, cooperativas e associações vendam seus produtos para órgãos público”, disse o prefeito Antônio Gomes (PL).

O PAA possui duas finalidades básicas: promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. Para o alcance desses dois objetivos, o programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede socioassistencial, pelos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e pela rede pública e filantrópica de ensino.

Segundo o prefeito de Mari (PB), esses alimentos estão chegando em boa hora, já que o povo vive um situação complicada por conta da pandemia do coronavírus. “Esses alimentos estão chegando em boa hora, graças a Deus, pois nosso povo vive uma das maiores crises, provocada pela pandemia do coronavírus, que gerou desemprego e fome. Estamos fazendo a nossa parte, apesar das dificuldades enfrentadas”, declarou o gestor.







Por: Assessoria, com informações de Radazinho

segunda-feira, 12 de abril de 2021

Novas leis do Código de Trânsito Brasileiro começam a valer nesta segunda-feira

Segunda-feira, 12 de abril de 2021
As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção.
A principal novidade é ampliação do prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos no caso de condutores de até 50 anos. (Foto: Reprodução)
Entram em vigor hoje (12) as alterações promovidas no Código Brasileiro de Trânsito. A principal novidade é ampliação do prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos no caso de condutores de até 50 anos. As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção.

Os exames de aptidão física e mental para renovação da CNH não serão mais realizados a cada cinco anos. A partir de agora, a validade será de dez anos para motoristas com idade inferior a 50 anos; cinco anos para motoristas com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 e três anos para motoristas com idade igual ou superior a 70 anos.

Haverá mudanças também na quantidade de pontos que podem levar à suspensão da carteira. Atualmente, o motorista que atinge 20 pontos durante o período de 12 meses pode ter a carteira suspensa. Agora, a suspensão ocorrerá de forma escalonada. O condutor terá a habilitação suspensa com 20 pontos (se tiver duas ou mais infrações gravíssimas na carteira); 30 pontos (uma infração gravíssima na pontuação); 40 pontos (nenhuma infração gravíssima na pontuação).

As novas regras proíbem que condutores condenados por  homicídio culposo ou lesão corporal sob efeito de álcool ou outro psicoativo tenham pena de prisão convertida em  alternativa.

O uso de cadeirinhas no banco traseiro passa a ser obrigatório para crianças com idade inferior a 10 anos que não tenham atingido 1,45 metro de altura. Pela regra antiga, somente a idade da criança era levada em conta.

Nos casos de chamamentos pelas montadoras para correção de defeitos em veículos (recall), o automóvel somente será licenciado após a comprovação de que houve atendimento da campanhas de reparos.



Por: Agência Brasil

POLICIAL

GALERIAS DE FOTOS

ENTRETENIMENTO

 
Copyright © 2013 PORTAL CONTINENTAL
Design by | T